Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...







Ficha Técnica

Nome do livro:  Não Pare!
Autor:  FML Pepper
Páginas: 277
Editora: Valentina


Olá, essa semana eu trouxe um livro que, comprei na feira do livro aqui na minha cidade -Guarulhos- eu decidi ler esse livro primeiro (comprei três livros novos), porque fazia um tempo que ele aparecia no meu  facebook e também eu tive a honra de conhecer a autora e assisti uma palestra que falava sobre um pouco mercado editorial aqui  no Brasil, sobre  livros (físicos e e-books) e os blogs . Devo dizer que foi um dia inesquecível. . 




Sinopse:



Nina Scott não suportava mais a vida nômade e solitária que sua mãe, Stela, a obrigava a ter. Mudar de cidade ou de país a cada piscar de olhos, conviver com tantas perguntas que a consumiam, assombrada por mistérios de um passado guardado a sete chaves. Agora, aos 16 anos, a garota das estranhas pupilas verticais exigia respostas. 
E, para sua péssima sorte, elas já estavam a caminho! 
Quando Stela decide ficar em Nova York, Nina acredita que seu sonho de ter uma vida normal vai se tornar realidade. Finalmente terminará o ano letivo em um mesmo colégio, poderá fazer amigos sem ter que abandoná-los em seguida, viver um grande amor, amadurecer, criar raízes... Enfim, curtir a juventude.
Mas o “normal” está muito longe da vida de Nina!
Perdida no olho de um furacão de mortes e inexplicáveis acidentes, tendo que esconder os terríveis fatos da mãe paranoica, Nina começa a desconfiar da própria sanidade mental, de tudo e de todos. O que explicaria os paralisantes calafrios, a perda de visão e de memória que experimentava sempre que alguém morria ao seu redor? O que ela teria a ver com os bizarros e sobrenaturais acontecimentos? Estariam eles interligados?
Seria a Morte sua companheira para toda a vida?
É chegada a hora da verdade.





 Trecho do livro:

Algo dentro de mim fazia perguntas sem sentido: Será que Stela sabia de alguma coisa sobre aquele assassinato e não me contou? Seria por isso que estávamos saindo dali com tamanha urgência? Não!Era óbvio que não! Até porque sair as pressas de um local para outro já era seu famigerado hobby, e eu já devia ter me acostumado. página 14




No livro, conhecemos Nina Scott, ela e sua mãe viviam mudando de cidades e países, por isso elas não conseguiam criar raízes e laços em lugar nenhum. Nina já estava cansada dessa vida nômade e solitária, e das perguntas sem respostas. 

Nina acredita, que finalmente terá uma vida normal, quando sua mãe Stela, decidi que elas passarão um ano em Nova York. Enfim, ela espera viver uma vida tipica, fazer amigos, quem sabe viver um grande amor, curtir a juventude.

Porém uma serie de acidentes e mortes inexplicáveis, faz com que Nina( quando ocorria uma morte ao seu redor, ela sentia paralisia, calafrios, perdia momentaneamente a visão e perda de memoria) comece a duvidar de sua sanidade mental. 

A narrativa é eletrizante, a autora no leva ao mundo diferente, onde nada é o que parece ser, a beleza esconde algo terrível. Assim como Nina, no apaixonamos a cada minuto, por mais estralho e terrível seja a situação que estamos.

A cada personagem que aparece um pouco do segredo é revelado, começamos a entender um pouco mais, sobre  Nina e sua mãe, os motivos dos segredos.  Uma boa historia, que marcou o inicio da carreira da autora.

Uma coisa que eu não podia deixar de fora dessa resenha, é falar um pouco da vida da autora: ela é dentista, e não tinha muito contanto com o mundo dos livros de literatura. Mas, tudo mudou quando ela ficou gravida, essa gravidei era de  risco, por isso ela teria que ficar de repouso em casa, foi nesse período que ela receber um presente do marido, um livro que mudaria seu mundo. A parti desse momento ela se apaixonou, por esse universo de ficção e fantasia. 

E quando ela deu por si, estava ansiosa para contar para o mundo, uma historia, que nasceu desse momento de sua vida. 

Eu espero que vocês tenham gostado da resenha, e que se também gostaram do livro ou se conhecem outros livros de autores nacionais, me falem.








Ficha Técnica:

Nome do livro: Eu estive aqui
Autor: Gayle Forman
Páginas: 228
Editora: Arqueiro


     Olá. Essa semana eu trouxe um livro com assunto serio, mais uma vez eu li um livro que fala sobre suicídio. Esse foi escrito pela autora Gayle Forman - autora de " Se eu ficar" e "Para onde ela foi"- eu estava dividida em relação aos livros da autora, eu não gostei muito de "Se eu ficar", mas amei o livro "Para onde ela foi"- confesso que não gostei da Mia- e para decidi se gosto mesmo do estilo dela de escrita e personagens li outro livro.   




Sinopse:


Quando sua melhor amiga, Meg, toma um frasco de veneno sozinha num quarto de motel, Cody fica chocada e arrasada. Ela e Meg compartilhavam tudo...


Como podia não ter previsto aquilo, como não percebera nenhum sinal?


A pedido dos pais de Meg, Cody viaja a Tacoma, onde a amiga fazia faculdade, para reunir seus pertences. Lá, acaba descobrindo muitas coisas que Meg não havia lhe contado. Conhece seus colegas de quarto, o tipo de pessoa com quem Cody nunca teria esbarrado em sua cidadezinha no fim do mundo. E conhece Ben McCallister, o guitarrista zombeteiro que se envolveu com Meg e tem os próprios segredos.


Porém, sua maior descoberta ocorre quando recebe dos pais de Meg o notebook da melhor amiga. Vasculhando o computador, Cody dá de cara com um arquivo criptografado, impossível de abrir. Até que um colega nerd consegue desbloqueá-lo... e de repente tudo o que ela pensou que sabia sobre a morte de Meg é posto em dúvida.


Eu estive aqui é Gayle Forman em sua melhor forma, uma história tensa, comovente e redentora que mostra que é possível seguir em frente mesmo diante de uma perda indescritível.


"Eu estive aqui é a mais perfeita mescla de mistério, tragédia e romance. Gayle Forman dá ao leitor um retrato sincero da coragem necessária para continuar vivendo após uma perda devastadora. "
Stephen Chbosky, autor de As vantagens de ser invisível






      Cody e Meg são inseparáveis desde pequena, as duas são melhores amigas. Elas planejaram deixar a cidadezinha em que viviam, quando entrassem na faculdade, porém Meg consegue bolsa integral e Cody não. As continuam melhores amigas, porém a distancia e o dia a dia atrapalha um pouco a dinâmica da amizade delas. Mesmo assim Cody, gostava muito da melhor  amiga e pensava que a conhecia melhor que qualquer um, por isso a noticia que Meg se matou, abalou o mundo de Cody. 
     
         O fato, parece tão impossível que Cody não consegue entender (absolver) que sua Meg se matou. Quando começa a investigar, ela encontra um outro lado de Meg que ela não imaginava, assim como uma parte da internet obscuro e sedutor.  Esses elementos aos poucos se juntam e começam a fazer um pouco de sentido, porém o verdadeiro obstaculo para Cody segui em frente com sua vida é perdoar Meg e a si mesma. 


    Bom, eu amei o livro, os personagens são cativantes, Gostei muito da Cody, que apesar das dificuldades e duvidas, ela vai atras da verdade- mesmo que essa verdade doa e mude seu mundo, o jeito que ela via o passado e sua melhor amiga. O livro lida com assuntos sérios: suicido, depressão e perdão.

    A leitura é rápida, eu basicamente não desgrudei do livro. Até agora uns dos meus favorito da autora.

      Bom, eu espero que vocês  gostem da resenha e logo estarei trazendo mais livros.





Ficha Técnica:

Nome do livro: Para todos os garotos que já amei
Autor: Jenny Han
Páginas:316
Editora: Intrínseca

 
      Olá essa semana eu trouxe um livro que já estava na minha lista de desejo há um pouco de tempo, " Para todos os garotos que já amei ".    Devo confessar que a primeira coisa que me chamou atenção no livro foi a capa - ela é simplesmente linda *.*. 



Sinopse:

Lara Jean guarda suas cartas de amor em uma caixa azul-petróleo que ganhou da mãe. Não são cartas que ela recebeu de alguém, mas que ela mesma escreveu. Uma para cada garoto que amou — cinco ao todo. São cartas sinceras, sem joguinhos nem fingimentos, repletas de coisas que Lara Jean não diria a ninguém, confissões de seus sentimentos mais profundos. Até que um dia essas cartas secretas são misteriosamente enviadas aos destinatários, e de uma hora para outra a vida amorosa de Lara Jean sai do papel e se transforma em algo que ela não pode mais controlar.





   Trechos do livro:

 Quando escrevo, não reprimo nada. Escrevo como se ele nunca fosse ler. Porque não vai mesmo. Cada pensamento secreto, cada observação cuidadosa, todos os sentimentos que guardei dentro de mim, coloco tudo na carta. Quando termino, fecho o envelope, escrevo o endereço e coloco dentro da caixa de chapéu azul- petróleo. ( página 7)


    Bom a historia fala de amor. Mas não somente o amor de "homem e mulher", mas, o amor da família. A historia gira no núcleo familiar de Lara Jean, que vivia uma vida comum.  Como qualquer garota.  Ela é a irmã do  meio, de três irmãs, elas perderam a mãe muito cedo, e para superar essa perda elas se uniram muitos, uma cuida da outra e também cuidam do pai delas. Porém, quando Margot a irmã mais velha - e porto seguro e modelo de Lara Jean-  decide cursar faculdade em outro  país, o mundo de Lara Jean, começa a se modificar. Além de lida com essa nova situação, ela ainda terá que lidar com o fato de que alguém enviou todas as suas cartas de amor e despedidas  para seus respectivos destinatários, e ela terá que lidar com a reação de cada um dos garotos pelos quais, ela um dia foi apaixonada.

    A historia tem personagens, que são muitos cativantes, eles não são perfeitos, muitas vezes tem atitude "impensada", que torna a leitura mais real, nos levando para o universo dele, sentindo suas duvidas e alegrias.   

     O livro é leve, a historia é delicadamente traçada com momentos fofos do dia a dia, que quando já se percebe o livro já acabou, deixando um gostinho de quero mais. 

     Eu ainda não li a continuação, estou ansiosa para ler. Bom eu espero que vocês tenham gostado da resenha e logo estarei trazendo mais livros. 


Direção - James Hill e Tom McGowan




A história de Elsa é um filme de 1966 que revi recentemente em DVD. Trata-se de uma história baseada em fatos reais que fala sobre uma leoa chamada Elsa, que foi criada em cativeiro por um casal de exploradores americanos que viviam na África.



Elsa, juntamente com duas outras leoas órfãs são encontradas por George Adamson (Bill Travers) após ser obrigado a eliminar os pais delas que estavam atacando humanos numa aldeia. Toda narrativa se baseia no livro de Joy Adamson que viveu a história com seu marido George. No filme, Joy é interpretada por Virginia McKenna.



Este longa arrebatou dois Oscars, um para melhor trilha sonora e outro para melhor canção original (Born free) para John Barry. Esta música foi muito divulgada e fez muito sucesso. Inclusive há uma versão brasileira para ela intitulada Livre que era cantada por Agnaldo Timóteo.



George leva as leoas para o acampamento e, por dois dias, tentam alimentar os filhotes sem sucesso até que ele tem a idéia de colocar o leite no dedo da esposa. Elsa é a primeira a tomar o leite e os outros filhotes também a imitam. Elas crescem e tornam-se um estorvo dentro de casa pois, comportam-se como leoas. O chefe de George os convence a enviá-las para um zoológico e, mesmo sob o protesto de Joy elas são preparadas para a viagem.



De última hora George termina ficando com a leoa para felicidade de Joy mas, quando ela completa 3 anos eles são obrigados a enviá-la também para o zoológico. A pedido de Joy, eles recebem permissão para tentarem readaptá-la à vida selvagem.



Por várias semans eles tentam sem sucesso que ela cace mas ela sempre acha que está brincando com os outros animais. Após inúmeras tentativas, já prestes a desistir, Elsa finalmente caça um javali e eles a deixam na selva mas ela termina voltando para o acampamento toda ensanguentada e por várias semanas eles cuidam dela que não quer mais voltar para selva.



Um belo dia, quando ela estava no seu segundo cio, eles a levam para selva e ela termina se adaptando à vida selvagem e fica lá sozinha. Eles vão morar em outra cidade mas, um ano depois, voltam para tentar encontrar Elsa. Passam uma semana procurando-a em vão. Já tendo desistido de procurar, voltam para o acampamento e, surpreendentemente, recebem Elsa e mais três filhotes que a acompanham. Passam toda a tarde com ela mas não tocam nos filhotes para não acontecer o mesmo que houve com Elsa e suas irmãs.



É um lindo filme, quase um documentário que mostra a relação do homem com a natureza e sua interferência na vida selvagem. Mereceu três estrelinhas e, apesar de antigo, continua atual.

Produção - Reino Unido, Irlanda e Estados Unidos
Ano de lançamento - 1966
Duração do filme - 1 hora e 36 minutos
Música - John Barry
Elenco e personagens:
Bill Travers ......... George Adamson
Virginia McKenna ..... Joy Adamson 
Geoffrey Keen ........ Kendall 
Robert S. Young ...... James 
Peter Lukoye ......... Nuru
Omar Chambati ........ Makkede 
Bill Godden .......... Sam
Bryan Epsom .......... Baker
Robert Cheetham ...... Ken 
Geoffrey Best ........ Watson








Ficha Técnica:

Nome do livro: Auggie e eu - Três historias Extraordinárias
Autor: R.J. Palacio
Páginas: 317
Editora: Intrínseca


   Olá, sabe as vezes, um livro é tão bom e maravilhoso que você quer ler uma continuação, que precisa desesperadamente saber o que acontece depois. O livro Extraordinário de R.J. Palacio - resenha365 dias extraordinários- é desse livros que serão lembrados por muito tempo, os personagens são marcantes, e nos deixam morrendo de vontade de conhece-los mais. O livro que eu trouxe não é uma continuação da historia, mas mesmo assim consegui matar um pouco a saudade, e  entendi um pouco mais o universo de Auggie e das pessoas que vivem com ele.



Sinopse:

            A história de Auggie Pullman, o menino de aparência incomum que tem encantado milhares de leitores desde o lançamento do romance Extraordinário, em 2013, ganha agora novas perspectivas: Julian, Christopher e Charlotte, personagens da vida de Auggie, narram nos três contos reunidos no livro Auggie e eu seus encontros e desencontros com o amigo extraordinário.

               O capítulo do Julian dá voz a um personagem controverso: o menino que liderava o bullying contra Auggie na escola. Enfim temos a oportunidade de entender o que o levou a agir dessa forma e o que Julian pensa das próprias ações.

        Em Plutão, o narrador é Christopher, o primeiro amigo de Auggie. Os dois meninos compartilham lembranças da infância e, apesar de terem se distanciado, aprendem que boas amizades sempre valerão um esforcinho a mais. 

        Shingaling mostra Auggie pelos olhos de Charlotte, a única menina entre as três crianças escolhidas para apresentar a Auggie sua nova escola. Com ela entramos no universo das garotas e vemos como a chegada de Auggie afetou as relações entre elas.

         Para quem sente saudades do menino cativante de feições e personalidade extraordinárias e tem curiosidade em saber mais sobre sua história, Auggie & eu é um verdadeiro presente.


       
        O livro é separado em três contos, cada um como um ponto de vista diferente sobre como Auggie afetou a vida de cada um. Nesse livro entendemos um pouco mais sobre Julian, porque ele agia daquele jeito, como era sua vida e sua família. Essa historia nos fala sobre super proteção familiar( as vezes beirando ao excesso) e que enfim a aparência não é tudo, que bondade vem sempre de onde menos se espera.

           No segundo conto, temos um conto sobre uns dos amigos de Auggie mais antigo, Christopher. Devo dizer que é o meu conto favorito, o conto fala da amizade, sobre como as vezes é um pouco difícil manter- las, principalmente quando as amizades fogem dos padrões, e como a família é importante.

           E no ultimo conto temos uma historia narrada por Charlotte, a única menina, que fazia parte do grupo de boas vindas ao Auggie. Aqui temos o lados das meninas em todo o ano letivo, é um conto sobre amizade, sobre ser verdadeiramente amigável.

           Todos os contos, são lindos, nos mostram que é necessário sempre ser gentil, respeitar, e não julgar a aparência das pessoas, apesar de nossos medos, temos que sempre lembrar que todos somos iguais e extraordinários. Enfim, é um bom livro, eu espero que vocês tenham gostado e logo estarem trazendo mais resenhas. 
         


Direção - Rod Daniel



Michael Dooley (James Belushi) é um policial que pretende prender Lyman (Kevin Tighe), um narcotraficante que tem tentado matá-lo. Sozinho ele não tem obtido êxito então, um amigo lhe dá cachorro-policial chamado Jerry Lee, um pastor alemão que foi treinado para cheirar drogas. Com a ajuda de Lee, Dooley acredita que conseguirá colocar seu inimigo na cadeia, mas Jerry Lee tem uma personalidade singular e só trabalha quando tem vontade. Para agravar a situação, ele é perfeito para arrumar confusões como destruir o carro, a casa e a vida sexual de Dooley. E para piorar ainda mais, Tracy (Mel Harris), a namorada de Dooley, é sequestrada por Lyman, com o objetivo de deter Dooley e assim, conseguir entregar sem problemas o carregamento de drogas que vale alguns milhões de dólares.




Produção - Estados Unidos
Ano de lançamento - 1989
Duração do filme - 1 hora e 40 minutos

Elenco e personagens:
Rando .... Jerry Lee
James Belushi .... Michael Dooley
Mel Harris .... Tracy
Kevin Tighe .... Lyman
James Handy .... Byers
Ed O'Neill .... Brannigan
Daniel Davis .... Halstead
Cotter Smith .... Gilliam
John Snyder .... Freddie
Pruitt Taylor Vince .... Benny
Sherman Howard .... Dillon
Jeff Allin.... Chad
David Haskell .... Médico



O filme começa com uma transa dentro de um carro em meio a uma chuva forte entre um casal de jovens. Dooley,  aborda os dois, mas não porque estavam transando e sim, para pedir o telefone emprestado para ligar para namorada. Ele tentara pelo telefone da polícia mas, como não se tratava de uma emergência, a telefonista não completou a ligação. Ele precisava dizer a ela que se atrasaria para o jantar pois estava fazendo uma campana para flagrar Lyman, o bandido que estava no encalço. E entra no carro onde o casal estava transando no banco traseiro dizendo que eles podiam continuar que ele só queria telefonar identificando-se como policial. Os dois ficam atarantados e, nesse meio tempo, surge um helicóptero e começa a metralhar o carro de Dooley a poucos metros de distância. Ele se salva por ter saído de lá minutos antes. Tinha sido Lyman quem tinha mandado.



Dooley vai até a delegacia pedir outro carro, pois o seu tinha ficado totalmente destruído.  Seu chefe lhe diz que ele só receberia um carro se aceitasse um parceiro e pede para ele escolher um. Dooley só  gostava de trabalhar sozinho mas, para satisfazer ao chefe escolhe um policial que já estava morto.  Finalmente ele resolve aceitar um cão policial como parceiro e vai pedir ajuda a outro policial amigo. É quando ele conhece Jerry Lee. E, a partir daí, o filme começa a ficar engraçado. O astro do filme passa a ser Jerry Lee. Vou citar apenas algumas cenas que se destacam nessa relação dele com o cão.



Uma das mais divertidas é quando ele chega na casa da namorada com Jerry e ela fica logo apaixonada pelo cachorro mas, quando vão para a cama, ele fica atrapalhando a transa deles e, termina por se enfiar por debaixo dos lenções e ficar entre eles. É muito divertido.  Outra cena muito divertida é quando ele vai a um bar num hotel mas, como não podia entrar com o cachorro, ele prende Jerry Lee com uma corda amarrada no retrovisor do seu carro para ele não fugir. Enquanto ele está vigiando um dos capangas de Lyman chega Jerry Lee arrastando o espelho com a corda amarrada em seu pescoço. E o melhor é depois, enquanto ele se finge de cego, Jerry Lee praticamente senta na mesa com ele e fica bebendo o seu chá no canudo. Sugando o canundo. Imaginem. É ótima essa cena.



Outra cena divertidíssima é quando ele vai comprar flortes para namorada e Jerry Lee vê uma poodle num carro estacionado em frente e se apaixona. Fica pedindo para ir namorar mas Dooley diz que ele estava em serviço só para judiar pelas coisas que Jerry tinha aprontado com ele mas, finalmente se rende e autoriza ele a ir namorar. Ele dá um pulo dentro pra do carro da frente pra transar com a poodle e depois que termina fica festejando, pulando, se arrastando no chão, demonstrando sua felicidade.



E a melhor de todas é quando ele chega num hospital com Jerry Lee baleado para ser operado. Um hospital de gente. Mas exige que um médico extraia a bala dele pois não resistiria a ir para outro lugar. E, enquanto Jerry Lee está na sala de recuperação, ele pensando que Jerry tinha morrido, começa a confessar um monte de coisas erradas que tinha feito e, inclusive a sugerir que poderiam ir pra Las Vegas, ele e a namorada junto com Jerry e a poodle. A cara de Jerry é deliciosa. Fingindo-se de morto e quando Dooley vira as costas, a cara de malandro dele.


O filme é bobo e não tem muito conteúdo nem nada de novo ou de imprevisível mas, é bem divertido e merceu três estrelinhas. Recomendo como uma boa diversão.




Curiosidade - Jerry Lee (Rando) era realmente um cachorro-policial na vida real e foi morto em por uma bala na perseguição de um suspeito de ter matado um policial em novembro de 1991, antes do lançamento do segundo filme, portanto, que foi lançado em 1999, dez anos após o primeiro.










Ficha Técnica:

Nome do livro: Homeland- Como tudo começou
Autor: Andrew Kaplan
Paginas: 317
Editora: Intrínseca



      Olá, essa semana eu trouxe um livro que fala de espiões e missões secretas. Eu, particularmente gosto de livros de detetives, esse é basicamente a minha primeira leitura, sobre espiões que faço. A maioria dos livros que leio, sempre tem a personagem feminina, mais delicada, cheias de duvidas, e que sempre precisam da ajuda de outras pessoas ( normalmente homens) para resolverem sua vida. Mas esse livro temos Carrie, que apesar de seus problemas tem uma personalidade muito forte.   



Sinopse:

       Beirute, 2006. A oficial de operações da CIA Carrie Mathison escapa por pouco de uma emboscada durante um encontro clandestino com um novo contato, de codinome Rouxinol. Suspeitando que a segurança da operação possa ter sido comprometida, Carrie desafia seu chefe num acalorado debate, que acaba por causar sua volta à sede da agência, nos Estados Unidos.

       Especialista em reconhecer e antecipar padrões de comportamento -— uma habilidade que se deve em parte a seu transtorno bipolar, o qual mantém em segredo para proteger a carreira —, Carrie tem cada vez mais certeza de que uma trama terrorista está em andamento. Ela então se arrisca num grave ato de insubordinação, na tentativa de descobrir uma prova que conecte Rouxinol a Abu Nazir, o líder da Al-Qaeda no Iraque. Determinada a interromper os planos terroristas, ela embarca numa obsessiva busca que pode acabar com sua carreira e até mesmo com sua vida.

    Construído com a mesma dose de suspense e as intrincadas reviravoltas que fizeram de Homeland uma série campeã de audiência, o livro revela a história pregressa de seus principais personagens e conduz o leitor ao interior da mente de sua brilhante espiã.



    Bom, o livro é cheio de ação, onde nada é o parece ser. Eu amei a protagonista, Carrie é o tipo de personagem forte, que não deixa os outros acabar com suas certezas e intuições, quando ela coloca algo na cabeça, vai até o final para desvendar o que se passa, e não deixa pontas soltas ou perguntas sem respostas.  

   Tem parte que a leitura fica um pouco confusa, como a trama se passa em grande parte no Iraque e Beirute, somos apresentados há uma realidade um pouco diferente, tanto na parte cultural ( vestimenta e hábitos), temos também a parte religiosa, que é muito confusa ( toda a questão com sunitas e xiitas), ou seja, partes de ficções e realidade estão presente na historia.

    O livro é uma passagem antes da serie Homeland, aqui conhecemos mais sobre a vida e o transtorno bipolar de Carrie. Eu ainda não vi a serie, mas ela acabou de entrar na minha lista de serie.

    Eu espero que vocês tenham gostado da resenha, e logo estarei trazendo mais livros.





Direção - Julie Anne Robinson



Diante da proximidade do Dia dos Namorados, resolvi escolher um filme de amor para indicar aos pombinhos para verem juntos amanhã, dia 12 de junho, quando se comemora esta data. E casualmente, assisti a este fime no Netflix. A última música é um filme cujo roteiro foi baseado no livro homônimo de Nicholas Sparks. O roteiro do filme é do próprio Sparks e de Jeff Van Wie. Posso lhe garantir que você não vai se arrepender a assistir a este filme com sua namorada ou namorado.




Bem, o filme inicia com um incêndio em uma igreja do qual os bombeiros retiram dos escombros um homem, Steve Miller (Greg Kennear), um pianista e ex-professor da Julliard School divorciado da esposa com dois filhos, Jonah (Bobby Coleman) e Ronnie Miller (Miley Cyrus).

Logo após a cena do incêndio há um corte e surge uma caminhonete na estrada que está sendo dirigida pela mãe de Ronnie e Jonah, Kim (Kelly Pretron), que está levando os filhos para passarem o verão com o pai numa praia na Georgia em Tymbee Island, pequena cidade litorânea. Jonah ao chegar faz a maior festa com o pai e fica maravilhado por ele morar na beira-mar. Já Ronnie nem sequer fala com ele, ainda ressentida por terem sido abandonados pelo pai quando ele se divorciou. Dirige-se então para praia, vestida como tinha chegado, com um coturno, calça e blusa pretos. As pessoas na praia a olham como um bicho raro. É quando acontece um tropeção entre ela e Will (Liam Hemsworth), um talentoso atleta que joga voley de praia e é bem popular entre as meninas do lugar.


A paquera se define neste instante embora Ronnie faça tudo para demonstrar que não tem interesse. Como a cidade é pequena eles se encontram com frequência. Ela se responsabiliza para defender alguns ovos de tartaruga que descobre na praia e que estavam sendo ameaçados pelos quatis e ele trabalha no Aquário da cidade. Isso começa a aproximá-los. A relação difícil dela com o pai vai aos poucos melhorando e, quando ela recebe um beijo roubado fica nas nuvens e conversa com o pai já que não tinha nenhuma amiga ali.



Os desempenhos são muito bem conduzidos pela diretora e a música de Aaron Zigman é muito bela. Ela havia sido presa em Nova Iorque por roubo e uma menina com ciúmes dela por pensar que ela está paquerando seu namorado, coloca uma pulseira na bolsa dela sem ela perceber e ao saírem da loja o alarme dispara. O dono pede para ver a bolsa dela e lá encontra a pulseira e leva-a para delegacia. O pai vai até lá para tirá-la. Surge o primeiro momento de confiança entre eles.


O desempenho do menino é muito bom e o dela melhor ainda. Ela é uma cantora e atriz Ela ficou muito conhecida após interpretar Hannah Montana em 2006, uma série de Walt Disney e já ganhou vários discos de platina por seus discos muito bem aceitos nos Estados Unidos.



O filme tem alguns diálogos muito bonitos, cenas bem românticas e uma história bem arrumada embora bem previsível mas, ganhou cinco estrelinhas e eu recomendo a todo casal apaixonado assistir a este filme juntos.



A seguir alguns quotes do filme.

Nós não somos perfeitos. Cometemos erros, fazemos bobagens, mas então perdoamos e vamos em frente. Querida, ao  menos você tem a coragem de sentir. Você sente tudo tão profundamente. Você é filha do seu pai.
As pessoas cometem erros Will. Até as pessoas que amamos. Não somos perfeitos. Nenhum de nós.
O amor é frágil Ronnie. E nem sempre cuidamos dele muito bem. A gente faz o melhor que pode e torce para que esta coisa frágil sobreviva apesar de tudo.

O amor é um pouco louco.
Sua mãe me contou que não passou nos exames de admissão mas sei que para errar todas as questões é preciso ser inteligente.
Um dia você vai abrir seu coração e vai tocar de novo.  E não será para agradar a sua mãe ou a mim. Será por você. Porque a  música e o amor trarão alegria a você.



Produção - Norte-americana
Ano de lançamento - 2010
Duração do filme - 1 hora e 47 minutos
Música - Aaron Zigman

Elenco e personagens:
Miley Cyrus como Veronica "Ronnie" Miller
Greg Kinnear como Steve Miller
Liam Hemsworth como Will Blakelee
Bobby Coleman como Jonah Miller
Kelly Preston como Kim, mãe de Ronnie e Jonah
Nick Lashaway como Marcus
Carly Chaikin como Blaze
Adam Barnett como Teddy
Nick Searcy como Tom Blakelee
Melissa Ordway como Ashley
Carrie Malabre como Cassie
Lance E. Nichols como Pastor Charlie Harris
Hallock Beals como Scott
Stephanie Leigh Schlund como Megan Blakelee